Tamanho: a a
 

História da Crediplan

Localizada na Rua Capitão Eleutério nº 665 – loja 1, cedida, gratuitamente, por um período de 12 meses, pela empresa Investplan – de propriedade do Dr. Milton Roos, a cooperativa mostrou, desde cedo, que seria uma instituição bem sucedida, pois tinha o apoio maciço de seus associados, que já somavam 134 pessoas, pois foram aderindo à sociedade, após sua fundação, mesmo antes do início das atividades.

O Capital Social subscrito, no valor individual de R$ 1.500,00, era integralizado em 60 (sessenta) parcelas mensais de R$ 25,00 cada uma, valor este que permanece até os dias de hoje.

O valor Capital Social integralizado era pequeno, e até hoje continua. Não temos de intenção de possuirmos um Capital Social vultuoso, pois entendemos, desde o início, que o que move uma cooperativa são seus associados e seus recursos. Porém, o princípio da “Adesão livre e voluntária”, já se fazia presente entre os cooperados, que de forma entusiasta compareciam, senão diariamente, pelos menos 2 a 3 vezes por semana na sede da cooperativa, levando seus recursos para somar aos seus depósitos, que fortalecia, cada vez mais a cooperativa.

Eram os primeiros passos de uma instituição, que tinha como objetivo, muito mais do que apenas prestar serviços de intermediação financeira aos seus cooperadois, mas, principalmente, de alavancar negócios importantes, e fazer com que, a classe médica, com seus próprios recursos, conseguisse se auto-sustentar.

Nos primeiros meses, as receitas não cobriam as despesas, mas passo a passo, com perseverança, com de reuniões semanais da Diretoria Executiva e do Conselho de Administração, para buscar novas alternativas e viabilizar a instituição, finalmente no mês de setembro, três meses após o início das atividades, a cooperativa conseguiu-se o primeiro resultado positivo, no valor de R$ 972,53 (novecentos e setenta e dois reais e cinqüenta e três centavos).

Os resultados positivos repetiram-se nos meses seguintes, até o fechamento do exercício. Fechamos o 1º ano com um déficit de R$ 51,89, resultado este coberto pelo Fundo de Reserva existente.

Os exercícios seguintes foram cobertos de êxito, com resultados positivos, que foram crescendo ao longo do tempo. Esses resultados/sobras, pois como instituição associativa a cooperativa não visa lucro, eram, após aprovação da Assembléia Geral, distribuídos aos cooperados, sempre na proporção de suas operações com a CREDIPLAN.

Esta prática fez com que os cooperados, ao longo dos anos, se sentissem prestigiados e aumentassem suas operações financeiras com a CREDIPLAN com novos investimentos, que fizeram com que a instituição tivesse lastro suficiente para aumentar o volume de empréstimos e financiamentos aos cooperados que necessitavam de recursos para realizar seus investimentos. O amento do valume de recursos, fez, também, com que a CREDIPLAN pudesse diminuir gradativamente as taxas de juros e, favorecendo os cooperados e fomentando, desenvolvendo e fazendo crescer cada vez mais, a atividade e o trabalho de seus cooperados, médicos, que investiam na sua qualidade de atendimento, aumentando a sua produção.

Afinal, é para isso que se constitui uma Cooperativa de Crédito, para intermediar as relações financeiras de seus cooperados, captando de uns e emprestando para outros, sempre com a finalidade de propiciar aos mesmos maiores ganhos, com vantagens comparativas, quando relacionadas com outras instituições financeiras.

Nos anos que se seguiram até aqui, continuamos crescendo, cumprindo e, inclusive, superando as metas estabelecidas. Neste ano, até o final do mês de Maio, conforme números já apresentados pelo Dr. Michelin, podemos dizer, com muito orgulho, que já superamos 70% das metas estabelecidas para o exercício, as quais nos propusemos a um crescimento de 20% em todas nossas operações, em relação ao exercício de 2013.

Por isso, como gerente que fui e estou, desde o início das operações da CREDIPLAN, não posso deixar de enaltecer o magnífico trabalho realizado desde o início das operações da CREDIPLAN pela primeira administração e pelas demais administrações que se seguiram ao longo dos anos, que souberam dar o encaminhamento necessário para as questões que surgiam, propiciando as condições básicas para que pudéssemos atingir o atual estágio de desenvolvimento e excelência dos resultados alcançados pela CREDIPLAN.

MEMBROS

A CREDIPLAN foi em 05 de novembro de 1993, por um grupo de 28 médicos, nascia, então, a Cooperativa de Crédito dos médicos do Planalto Médio do RS, então Unicred Planalto Médio. Após ter seus estatutos aprovados pelo Banco Central do Brasil, iniciou suas atividades em 01 de junho de 1994, tendo a frente da administração, os seguintes associados, com a seguinte composição

Diretoria Executiva:

  • Dr. Milton Valdomiro Roos – Diretor Presidente;
  • Dr. Mário Franciosi – Diretor Administrativo;
  • Dr. Adroaldo Baseggio Mallmann – Diretor Financeiro

Conselho de Administração:

  • Dr. Albino Júlio Sciesleski;
  • Dr. Clebes Fagundes;
  • Dr. Gilberto Tubino da Silva;
  • Dr. Luiz Roberto Rovaris;
  • Dr. Mauro Frederico Sparta de Souza;
  • Dr. José Idílio Saggin;

Membros Suplentes:

  • Dr. Carlos Augusto Scussel Madalosso;
  • Dr. Cláudio Miguel Pinto Moralles;
  • Dr. Roque Paulo Torres Falleiro;

Conselho Fiscal:

  • Dr. Jorge Roberto de Oliveira Polita;
  • Dr. Luiz Carlos Trombini;
  • Dr. Wilmar Léo Maffezzolli;

Membros Suplentes:

  • Dr. Daniel Lara Soares;
  • Dr. Rubens Posser;
  • Dr. Antero Camisa Junior;